27 fevereiro 2010

Quer saber como acontece a fibromialgia?



Assista ao vídeo FIBROMIALGIA FISIOPATOLOGIA E SINTOMAS, e saiba mais sobre os principais sintomas desta síndrome.

O vídeo foi elaborado pela Disciplina de Telemedicina da Faculdade de Medicina da USP.


Ele pode ser visto no Youtube e no blog "A dor atual" da Dra. Thais Saron, médica fisiatra do Hospital das Clínicas.

Fiquem atentos ao blog "A dor atual", estão preparando mais vídeos interessantes.


Blog "A dor atual" traz informações para quem sofre de dor crônica


Youtube

* * * * *

21 fevereiro 2010

Fibromialgia: A dor me deixa "engessada"


Onde estará ela? Para onde terá ido a minha companheira inseparável?
Hoje a dor resolveu tirar uma folga!
São 23:00h e não tenho dor.
Estou super feliz porque hoje consegui arrumar toda a minha casa.
Faz um bom tempo que não consigo fazer isso em um só dia. Normalmente eu só consigo terminar tudo em dois dias e com muito sofrimento. E depois desse calvário, além do cansaço, eu sinto muitas dores e fico “engessada” por uns dois dias.


Depois, levei meus dois cãezinhos para tomarem banho no petshop e a noite ainda fui à  uma festa de aniversário.
Jamais consigo fazer isso tudo no mesmo dia e o mais incrível é que não foi sofrível! Estou muito cansada, como sempre tem sido, mas não sinto dores insuportáveis.
Porque? Não sei.
Já queimei meus neurônios para tentar descobrir qual foi a mágica, para poder repeti-la amanhã, e depois, e depois, e depois... Para assim, não sentir mais as dores que tanto incomodam.
Será que descobrirei este mistério?
O texto acima é de minha autoria.
 
Encontrei uma poesia que fala de cansaço e fraqueza.
Eles fazem parte de uma lista interminável de sintomas que uma pessoa com fibromialgia pode apresentar.

É deste site

O Cansaço e a Esperança
Ando me sentindo cansada,
e o cansaço me tira as forças.
Isso, de fato, é se cansar?
Andar e não chegar a lugar algum?
Até quando?
Até quando devo esperar?

A esperança no meu coração, se adia.
Dia após dia, espero.
E espero... e espero... e espero.
Logo, é noite.
Adormeço.

Se faz dia, outro dia.
Tudo de novo, outra vez.
O cansaço continua, a fraqueza também.
Mas decido continuar esperando...
Quem sabe, um dia,
esse mal se transforma em bem?

Cláudia Banegas

18 fevereiro 2010

Ração humana



Sou uma pessoa muito contraditória. Chego a rir das minhas loucuras.
Sou capaz de revirar a internet e as bancas de jornal, atrás de receitas culinárias que ainda não tenho e ao mesmo tempo sonho em algum dia não precisar mais cozinhar.
Sonho em ter a minha disposição uma ração balanceada para humanos, algo bem parecido com o que os meus cãezinhos consomem. Seria tão mais simples. Não precisaria mais me preocupar em se estou me alimentando adequadamente ou se estou consumindo algo prejudicial para minha saúde, certamente com a ração seria mais fácil manter o peso ideal, não precisaria ir ao supermercado com tanta frequência, a geladeira seria utilizada para água, sucos, frutas, etc. E nada me impediria de ir para a cozinha preparar alguma iguaria quando desse a vontade, mas o mais interessante é que não teria mais aquela infinidade de louça suja para ser lavada.
Leva-se um tempão para preparar uma refeição, consome-se num instante e o que resta é uma pia cheia de louça suja. Isso não é justo!
Um dia ainda vou ser cachorro!


Quando ouvi falar pela primeira vez em “ração humana” pensei: Não acredito! Tem mais gente louca por ai e que conseguiu inventar isso! Mas não era exatamente o que pensei, mas talvez estejamos a caminho.
O que chamam de ração humana é uma combinação muito rica e saudável de fibras, vitaminas do complexo B e minerais.
Os nutricionistas dizem que ajuda a controlar o colesterol, o diabetes, que melhora o funcionamento do intestino, melhora a pele e a imunidade, mas o mais interessante desta ração é que ela auxilia no emagrecimento.
A ração humana pode ser encontrada facilmente, mas existe uma infinidade de misturas diferentes, algumas são mais calóricas e outras menos. Ai fica a dúvida. Qual será a mais eficaz? Eu escolho a menos calórica.
Vi uma matéria excelente sobre o assunto no Jornal Hoje da Globo.
As nutricionistas que participaram da matéria passaram uma receita balanceada da ração humana que pode ser preparada em casa, é só comprar os ingredientes a granel.

Ração humana

50g de semente de linhaça
250g de gérmen de trigo
500g de leite de soja sem açúcar
500g de farelo de trigo
250g de flocos de aveia
100g de semente de gergelim com casca
100g de açúcar mascavo ou 50g de cacau
50g de levedo de cerveja em pó
50g de guaraná em pó
100g de quinua

É só misturar tudo e guardar na geladeira em um pote escuro e bem fechado.
É preciso tomar muito liquido porque a mistura contém muitas fibras.
A dose diária não deve ultrapassar a duas colheres de sopa.
Pode ser consumida como um complemento para o café da manhã e o lanche da tarde.
No almoço e jantar pode ser usada como um tempero para as saladas.
As nutricionistas orientaram também que não deve ser usada para substituir uma refeição.
É claro que não! Porque ela não tem a quantidade de proteínas necessárias ao organismo.
E todo mundo tambem já sabe que passar fome não emagrece, o que faz perder peso é a reeducação alimentar, comer de tudo um pouco, fazer um prato bem colorido, comer quantidades moderadas e se alimentar várias vezes ao dia.
O texto acima é de minha autoria.

Para quem quiser ver a matéria do Jornal Hoje apresentada no dia 10/02/2010

* * * * *

09 fevereiro 2010

Fibromialgia e depressão. Para onde foi a minha resiliência.


O que é resiliência?

Definição que encontrei na net:

Resiliência é um conceito oriundo da física, que se refere à propriedade de que são dotados alguns materiais, de acumular energia quando exigidos ou submetidos a estresse sem ocorrer ruptura.
A psicologia tomou essa imagem emprestada da física, definindo resiliência como a capacidade do indivíduo lidar com problemas, superar obstáculos ou resistir à pressão
de situações adversas - choque, estresse, etc. - sem entrar em surto psicológico.

Abaixo o texto é de minha autoria.
Andei lendo um pouco sobre a tal resiliência e descobri que em algum momento e em algum lugar eu a perdi!
O estresse nunca me afetou tanto como agora, sinto que conforme os anos vão passando, vou ficando mais covarde e mais sensível, deveria ser o contrário, a experiência adquirida deveria me tornar mais forte.
Eu tinha a impressão de que me tornei mais vulnerável por causa da depressão, mas conforme fui lendo sobre a resiliência cheguei à conclusão de que posso ter adquirido a depressão por estar com baixo grau de resiliência e certamente a fibromialgia veio como conseqüência. É claro que a fibromialgia não surgiu do nada, depois de passar por situações difíceis que me deixaram bem abalada, fui para o fundo do poço e depois disso desenvolvi esta síndrome.


Resiliênte é o que não tenho sido ultimamente! Resiliência é a capacidade humana de vencer as dificuldades por mais traumáticas que sejam. É a capacidade de adaptação, recuperação e flexibilidade, é a habilidade de reagir positivamente e com equilíbrio quando exposto ao estresse, adversidades sucessivas, pressão e etc... Também é a capacidade de encontrar seus próprios recursos para sair fortalecido das adversidades.
Uma pessoa resiliênte não é invulnerável, ela só não se abate. Ela tem a capacidade de se reerguer depois de passar por experiências difíceis, de garantir a sua integridade em momentos críticos, de se adaptar ás situações impostas e utilizar as experiências difíceis como aprendizado para reverter as situações a seu favor.
Segundo o que li, ser resiliênte é olhar para os fatos em si, sem se deixar levar pelas emoções causadas por eles. Nesta fase da minha vida não tenho reagido desta forma, já andei melhorando muito, mas preciso mudar muitas coisas ainda. Não é um passo fácil e sei que não vou conseguir um resultado imediato, vai ser um caminho bem longo e cheio de adaptações que em alguns momentos darão certo e em outros não.
Dizem que qualquer pessoa pode se tornar resiliênte descobrindo novas formas de lidar com a vida e é isso que preciso fazer. Preciso mudar meu pensamento, meu estado de espírito, minhas ações e meu comportamento perante as dificuldades e aprender a superá-las sem me abalar tanto.
Uma pessoa resiliênte sabe administrar as emoções e tem a habilidade de se manter calma sob pressão, sabe controlar seus impulsos para não agir impulsivamente, tem um comportamento otimista sentindo que as situações ruins e difíceis futuramente irão mudar para melhor, sabe analisar o ambiente e identificar as causas dos problemas e adversidades, é auto-confiante, têm empatia e consegue perceber os estados emocionais e psicológicos das outras pessoas e consegue se conectar melhor com os demais facilitando assim a solução dos problemas.
Essa é a descrição de uma pessoa resiliênte. Parece perfeita, não é? Será que é possível ser assim? Não sei, mas vou tentar me aproximar ao máximo disto sem me tornar algo que não saberei reconhecer, ou seja, sem me tornar uma pessoa fria e calculista!
O Texto acima é de minha autoria.

Em vários sites que andei lendo encontrei uma comparação interessante:
”O equilíbrio humano é como a estrutura de um edifício. Se a pressão for maior que a resistência, aparecerão rachaduras, como doenças psicossomáticas”.

Encontrei também esta frase:
“O problema não é o problema. O problema é sua atitude com relação ao problema.”(Kelly Young)

No site abaixo, tem boas dicas para se tornar resiliênte:
Existe dois tipos de indivíduos, aqueles que nascem e os que se tornam resilientes.
Todos nós podemos nos tornar resiliêntes. Seguem algumas dicas:
- Mentalizar seu projeto de vida, mesmo que não possa ser colocado em prática imediatamente. Sonhar com seu projeto é confortante e reduz a ansiedade.
- Aprender e adotar métodos práticos de relaxamento e meditação.
- Praticar esporte para aumentar o ânimo e a disposição. Os exercícios aumentam endorfinas e testosterona que, conseqüentemente, proporcionam sensação de bem-estar.
- Procurar manter o lar em harmonia, pois este é o "ponto de apoio para recuperar-se".

Continue lendo aqui:
Fonte: http://depoisdodiva.blogspot.com/2009/10/resiliencia.html

* * * * *

01 fevereiro 2010

Marionete da Fibromialgia



"Boneco de fio" ou "marionete" é um boneco movido por meio de cordões que são manipulados por uma pessoa.
É exatamente assim que ando me sentindo!
A Fibromialgia está comandando totalmente a minha vida. É ela quem decide se vou sair para me divertir um pouco, se vou cuidar da minha casa, se vou namorar, se vou conseguir fazer o almoço e lavar a louça. Todas essas coisas são do cotidiano e muito simples de serem feitas, mas em determinados dias fica impossível realizar qualquer uma delas!
Fiquei impressionada quando me dei conta de que não passo por nenhum momento do meu dia sem pensar nela ou sem lembrar que ela existe. Sinto dor todos os dias e não adianta tomar os remédios porque eles não tiram a dor totalmente, só ameniza um pouco, com ou sem eles não muda muita coisa, então acabo decidindo por não toma-los para não ficar me intoxicando por tão pouco.
Quando preciso sair por algum motivo sei que quando retornar não vou conseguir fazer nada por causa do cansaço, mas o pior fica para o dia seguinte que é quando vou sentir as dores pelo corpo.
O pior é quando passo por alguma situação estressante. Digam-me, quem é nesta vida que está livre disso? Eu costumo dizer brincando que gostaria de ser um bichinho porque ser uma pessoa é muito difícil.
Ando fazendo de tudo para evitar tais situações, mas tem horas que não tem para onde correr. Todo mundo tem problemas para resolver e quando aparece algum é no dia seguinte que pago por todos os meus pecados.
É por causa de estresse que vêm as piores dores. Elas são diferentes das dores causadas por andar ou por fazer outras coisas. As dores do estresse são mais fortes e acontecem na região do quadril e vão se disseminando para as pernas.
Em fevereiro vai começar uma nova fase do meu novo tratamento para a fibromialgia e terei três ou quatro dias da semana comprometidos com ele. Não estou reclamando, longe disso, tenho esperança de poder me sentir bem melhor com ele. O que não estou gostando é de ser manipulada por esta síndrome cruel.
Tenho que me tratar e por isso estou deixando de fazer muitas outras coisas importantes para mim, como por exemplo, estudar que é a fundamental. Tenho certeza de que não daria conta de cuidar da minha casa, família, fazer o tratamento e estudar. Tenho evitado ao máximo me sobrecarregar para não ficar estressada e consequentemente sentir dores mais fortes.
Estou muito entusiasmada e esperançosa com o meu novo tratamento, mas tenho receio de que não vou mais me livrar desta síndrome porque é isso que é dito dela.
Uma vez fibromialgica
Fibromialgica até morrer
A fibromialgia me trouxe pelo menos uma coisa boa, estou conseguindo mudar a maneira de ver e de reagir a certas coisas, mas este assunto vai ficar para uma próxima.
O texto acima é de minha autoria.

Quem tiver alguma duvida sobre dor e necessita de informações sobre o assunto deve dar uma olhada no site da fisiatra Dra. Thais Saron.

* * * * *
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...